Rede de Judiarias de Portugal

Turismo do Centro

Região interior que corresponde à grande montanha do país a Serra da Estrela atinge os 2000m de altitude.

Em redor desta localizam-se as 12 Aldeias Históricas portuguesas bem como os locais de uma indústria de lanifícios das mais antigas do mundo.

Fronteiriça com Espanha, a região possui algumas das cidades e vilas mais significativas da história judaica portuguesa.

Belmonte (com a presente comunidade, única na Península Ibérica a resistir organizada a séculos de inquisição), Guarda, Trancoso, Covilhã, Pinhel, Penamacor, Fundão, Celorico da Beira, Gouveia, Marialva, Castelo Rodrigo, Almeida, Sabugal e Linhares.

Todos estes centros urbanos rodeiam a grande montanha em que os seus Vales Glaciares são tão característicos. Nessa época (secs. XIV, XV e XVI) muitos dos cosmógrafos, descobridores e exploradores que lideraram a primeira globalização civilizacional terrestre, encetada por Portugal, eram destas cidades e vilas.

Quando da expulsão dos judeus de Espanha (1492), a maior parte (estima-se que mais de 100.000 passaram a Portugal. Destes cerca de 35.000 utilizaram a fronteira de Vilar Formoso, tendo muitos deles reforçado as comunidades atrás referidas.

Durante a II Guerra Mundial dezenas de milhar de judeus passaram a fronteira desta região em Vilar Formoso (Almeida). Os vistos passados pelo cônsul Aristides Sousa Mendes em Bordéus transformaram-se em passaportes para a vida através daquele que foi o maior acto individual de salvamento ocorrido durante o conflito.

voltar ao topo