Rede de Judiarias de Portugal

ERT da Região de Lisboa

A presença de judeus em Portugal afirmou-se principalmente no séc. XV. Lisboa, cada vez mais cosmopolita e mercantilista viu por isso reforçada a sua componente sefardita. Em 1446 computava-se esta comunidade em mais de 1.100 pessoas e cinquenta anos depois seriam mais de 1900.

Numa grande região turística que começa na cidade de Tomar e passa pelo Ribatejo, Lisboa e termina na península de Setúbal foram vários e importantes os centros de concentração de hebreus portugueses. Apesar de longe da fronteira e para além da capital do país desenvolveram-se Santarém (então a quarta cidade nacional), Setúbal, Tomar, Torres Novas, Abrantes e apenas com uma pequena rua, Sintra.

Na baixa de Lisboa (Praça da Igreja de S.Domingos) existe um memorial que relembra o “Progrom” da Páscoa de 1506, acontecido antes do estabelecimento da inquisição em Portugal. Incentivada por dois frades dominicanos uma multidão de quinhentas pessoas massacrou centenas de judeus ou cristãos novos por toda a cidade. O rei D.Manuel, ausente da cidade, mandou depois punir muitos dos assassinos e enforcar os dois frades. O romance de Richard Zimler, o último Cabalista de Lisboa incide sobre estes factos referindo o bairro de Alfama (onde existia uma judiaria) e a escola cabalística da cidade.

voltar ao topo