Rede de Judiarias de Portugal

Torres Vedras

Na região do Oeste, a norte de Lisboa, Torres Vedras sediou a principal comunidade judaica do séc. XV.

Dilui-se na voragem do tempo a origem da presença judaica em Torres Vedras, onde, em meados do século XIII, existia já uma importante comunidade, que foi florescendo ao longo dos dois séculos seguintes. Entre os seus membros, destacam-se algumas famílias, como a dos Guedelha, de elevado estatuto e com ligações à Corte. Outros eram grandes proprietários rurais, rendeiros, comerciantes ou financeiros, como Antão Toledão (1435), ou Judas Lexorda (1469), cobradores de rendas e sisas do concelho. Na vila, os membros da comunidade judaica dedicavam-se aos ofícios mecânicos e ao comércio. Há também uma referência a mestre Josepe (1442), cirurgião. A atividade copista de Joseph ben Guedelha Franco, no início do século XV, incluiu Torres Vedras no importante movimento nacional de produção de livros manuscritos hebraicos.

A existência de um bairro próprio, desenvolvendo-se em redor da sinagoga (na atual Rua dos Celeiros de Santa Maria), é sugerida em 1322, com a primeira referência à Judiaria. Em 1381 viviam na então vila 25 famílias judaicas, cerca de 10% da população urbana. O crescimento da comunidade, ao longo das décadas seguintes, levaria ao pedido de avanço da porta da Judiaria, em 1469.

Esta vivência comunitária sofreu uma profunda rutura com o decreto de expulsão, em 1496, e a conversão forçada. A exemplo do restante país, o destino dos judeus de Torres Vedras repartiu-se entre a integração na sociedade cristã e os caminhos da fuga e da diáspora.

 

Contactos
Centro de Interpretação da Comunidade Judaica de Torres Vedras
Largo Padre Jacinto Pio Sobreiro, 1-3
2560-688 Torres Vedras

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

voltar ao topo