Rede de Judiarias de Portugal

Rede de Judiarias quer recuperar centros históricos

CAPEIA ARRAIANA: A Rede de Judiarias de Portugal, com sede em Belmonte, está a estudar, com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro (CCDRC), uma candidatura a fundos para recuperação dos centros históricos dos municípios associados, anunciou hoje o secretário-geral do organismo. O Sabugal, que não integra a rede de judiarias, está fora do projecto.
Jorge Patrão, que também preside à Entidade Turística da Serra da Estrela, disse ontem, dia 24 de Maio, em Belmonte, à margem da apresentação da rede promovida pela embaixada de Israel, que «ainda não há verbas definidas», mas já há «caminho aberto» para o projecto.


Apesar de alguns dos municípios não estarem situados na Região Centro, aquele responsável refere que a candidatura será tratada com a CCDRC, que depois coordenará a vertente financeira com as restantes comissões regionais.
A candidatura permitirá «valorizar o património judaico e dignificar os espaços turísticos em que esse património se insere».
A Rede de Judiarias de Portugal foi constituída em Março de 2011 e integra os municípios de Belmonte, Castelo de Vide, Freixo de Espada à Cinta, Guarda, Lamego, Penamacor e Trancoso.
Fazem também parte da estrutura as entidades regionais de Turismo do Douro, Serra da Estrela, Lisboa e Vale do Tejo, Oeste, Alentejo e Algarve e ainda a Comunidade Judaica de Belmonte.
Ehud Gol, embaixador de Israel em Portugal, aplaudiu a criação da rede, depois de já ter visto nascer uma estrutura semelhante em Espanha, há 16 anos.
Na apresentação de hoje, que serviu também para assinalar o 63.º aniversário da independência de Israel, aquele responsável disse esperar que a ligação entre municípios e entidades «sirva para dar a conhecer a história judaica de Portugal»

voltar ao topo